Linkedin Bioclin Instagram Bioclin Bioclin ONCAST Podcast

Íons para Automação

Os íons, também chamados de eletrólitos, possuem múltiplas funções no organismo. Praticamente não existem processos metabólicos que não dependam ou sejam afetados por eles. Entre outras funções, os íons atuam na manutenção da pressão osmótica, distribuição de água no organismo, manutenção do pH, regulação da função do coração e outros músculos, nas reações de oxi-redução, e como cofatores das atividades enzimáticas. A dosagem de íons é, portanto, uma das mais importantes análises da clínica laboratorial.

A Bioclin disponibiliza reagentes para as dosagens de íons Sódio, Potássio, Cloro e Lítio para automação.

Os kits de Íons para Automação Bioclin foram desenvolvidos para facilitar a rotina do laboratório, simplificando as análises ao possibilitar a sua aplicação em equipamentos bioquímicos automáticos sem a necessidade de uso do módulo ISE.

São reagentes enzimáticos colorimétricos baseados na atividade de enzimas depende de íons. Cada kit é composto por dois reagentes prontos para uso e dois níveis de padrões já inclusos.

Possuem excelente correlação com o método ISE, com a vantagem de ser aplicável em qualquer equipamento bioquímico automático.

O Kit Íons Sódio Automação baseia-se na atividade da enzima b-galactosidase dependente de sódio. A b-galactosidase, na presença de íons sódio, catalisa a conversão do substrato ONPG em o-nitrofenol  e galactose. O produto formado, o-nitrofenol, possui elevada absorbância em filtro de 405 nm. O aumento desta é, portanto, proporcional a formação do composto e consequentemente proporcional a concentração de sódio.

Já o Kit íons Potássio Automação está relacionado à atividade da enzima piruvatoquinase dependente de potássio. A enzima, na presença de íons potássio, catalisa a conversão do substrato fosfoenolpiruvato em piruvato, que reage com NADH, na presença da enzima LDH, para formar Lactato e NAD. O decréscimo de absorbância, decorrente da conversão de NADH em NAD, é proporcional à concentração de potássio.

No ensaio de íons Cloretos, a α-amilase presente no reagente é desativada pela presença de EDTA que atua na remoção de íons de cálcio. A α-amilase é reativada através da adição de íons cloretos da amostra, que permite que o íon cálcio se reassocie à enzima. A reativação da atividade α-amilase é proporcional à concentração de íons cloretos.

O lítio é determinado através da análise enzimática envolvendo a fosfatase, cuja atividade é sensível ao lítio. O substrato da fosfatase é convertido por uma série de reações enzimáticas para gerar um corante  que tem absorbância máxima em 550 nm. A taxa de formação do corante é inversamente proporcional à concentração de lítio.

 

Para mais informações, entre em contato com o SAC através do 0800 031 5454.